as coisas que conta um português que anda pela Rússia
Sábado, 21 de Novembro de 2009
ASSASSÍNIO DE SACERDOTE CHOCA MOSCOVO

 

 

(Artigo feito para o JN, limitado a 1200 caracteres, e que não apareceu na edição on-line)

 

O padre ortodoxo Daniil Sissoev, foi assassinado na sua igreja, em Moscovo, ao princípio da noite de quinta-feira. De acordo com as testemunhas, por volta da 22.40, o assassino, com o rosto coberto por uma máscara sanitária, entrou na igreja, onde ainda estavam alguns fiéis, perguntou “quem é Sissoev” e quando o sacerdote avançou, disparou quatro tiros. Ficou ferido também o director do coro, Vladimir Strelbitski. As autoridades pensam que o motivo do crime possa estar relacionado com a actividade do sacerdote. Ele era exercia uma actividade intensa entre muçulmanos e membros de seitas, e promovia debates sobre temas religiosos. No seu blog, a 9 de Outubro, Sissoev escreve que recebeu uma ameaça de morte por parte de um muçulmano, e afirma que é já 14ª que recebe, “mas desta vez foi pelo telefone”. No mesmo blog o sacerdote afirma que “quase todos os meses” baptizava muçulmanos. Daniil Sissoev chegou a enfrentar uma causa movida por uma jornalista muçulmana que alegava ter ouvido da boca do sacerdote “palavras carregadas de ódio para com o islão e os muçulmanos”.

No entanto, as autoridades consideram que o crime pode ter sido cometido por membros de seitas, contra as quais o padre Daniil se pronunciava frequentemente.

 

Comentários e informações adicionais.

 

O padre Daniil é descrito por Alexei Makarkin, como um sacerdote “politicamente não correcto”. Isto porque a sua linha era a de não deixar em paz os crentes de outras religiões e membros de seitas. Frequentemente entrava em discussão com quem defendia outros pontos de vista. Era adepto de um apostolado activo e insistente, daí o ter criado uma “escola de missionários de rua”. Makarkin diz que o padre Daniil baptizou, nos últimos anos, mais de 80 muçulmanos. O quadro que se apresenta leva realmente a suspeitar que elementos de grupos intolerantes poderiam ter decidido eliminá-lo.

O padre Daniil era casado e tinha três filhos, o que está de acordo com as tradições ortodoxas. Aliás ele era, por sua vez, filho de um sacerdote. A sua esposa, Iúlia, confirmou ao portal “life.ru” que ele tinha recebido ameaças por e-mail e por telefone. “Eu não sei com quem ele contactava. Ele contactava com muita gente. Não sei se o ameaçavam também pela frente, ou não. Encontrava-se com muita gente, incluindo os líderes de grupos extremistas, tinham discussões. Muitas das suas acções chegavam a um resultado. Baptizava-se até quem antes tinha sido terrorista”, afirmou a viúva. 



publicado por edguedes às 16:37
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

VICTOR HUGO PONTES NO "IN...

RÚSSIA E POLÓNIA DEPOIS D...

RE-START

"SHAKHIDKA"

AINDA ATENTADOS

METROPOLITANO DE MOSCOVO ...

METROPOLITANO DE MOSCOVO ...

METROPOLITANO DE MOSCOVO ...

RECOMEÇAR

ASSASSÍNIO DE SACERDOTE C...

arquivos

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

todas as tags

links
blogs SAPO
subscrever feeds