as coisas que conta um português que anda pela Rússia
Terça-feira, 30 de Março de 2010
METROPOLITANO DE MOSCOVO - 2

 

AINDA O CÁUCASO POR DETRÁS DAS EXPLOSÕES EM MOSCOVO

Os atentados nas duas estações do metropolitano de Moscovo provocaram 38 mortos, e 63 pessoas se encontram hospitalizadas, algumas em estado muito grave. As autoridades afirmam que os os autores foram duas mulheres suicidas, oriundas do Norte do Cáucaso (Chechénia), e prometem dar cabo dos organizadores.

Ao princípio da noite de ontem, o presidente Dmitri Medvedev foi depor um ramo de flores na estação de metropolitano “Lubianka”, a primeira onde explodiu um engenho ao princípio da manhã. “Eu não tenho dúvidas: havemos de os apanhar e dar cabo deles”, afirmou o presidente russo referindo-se aos presumíveis organizadores do atentado. Entretanto eram já conhecidos alguns detalhes relativos às investigações sobre os atentados cometidos no “metro” de Moscovo. A observação dos corpos e as gravações das câmaras de vigilância do metropolitano permitiam colocar a polícia na pista de três cúmplices. Segundo a agência Interfax, trata-se de duas mulheres de aparência eslava e um homem, filmados em companhia das duas suicidas na estação de “Iugozapanaia”, onde teriam iniciado o percurso. De acordo com o representante da Comissão de Instrução da Procuradoria, Vladimir Markin, “no local da tragédia foram identificados fragmentos de corpos com lesões características”, que permitem identificar que se trata da pessoa que levava o engenho à cintura e deduzir que os explosivos se encontravam a uma altura de cerca de 120 centímetros. Recorde-se que a primeira explosão se deu na estação “Lubianka”, à 7.57, com uma potência equivalente a cerca de 4 quilos de trotil, enquanto que a segundo ocorreu 40 minutos mais tarde, na estação “Park Kulturi”, com uma potência de cerca de 2 quilos de trotil. Ambos os engenhos explodiram quando a composição estava parada na estação e com as portas abertas. O procurador geral, Iuri Tchaika, afirmou que neste segundo caso os serviços especiais descobriram um segundo “cinto” de explosivos que a suicida levava, e que não explodiu. Uma fonte da agência Interfax referiu que se tratava de mulheres muito jovens. Uma delas provavelmente entre os 18 e os 20 anos, com aspecto de ser do Cáucaso.

A versão de que se trate de um atentado organizado por um grupo rebelde do Cáucaso, tinha já sido citada oficialmente durante a manhã de ontem pelo director do Serviço Federal de Segurança, Alexandre Bortinikov, durante uma reunião com o presidente. Segundo o presidente da Comissão Parlamentar para a Segurança, Vladimir Vassiliev, a referência imediata ao Cáucaso numa altura em que as investigações estavam ainda no início pode não ter parecido muito oportuna, mas foi um aviso necessário à população. “Tinham-se se dado duas explosões e não se sabia se poderia haver outras”, explicou Vassiliev. Na sua opinião houve falhas dos serviços segurança no que respeita à possível prevenção destes atentados.

 



publicado por edguedes às 11:32
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

VICTOR HUGO PONTES NO "IN...

RÚSSIA E POLÓNIA DEPOIS D...

RE-START

"SHAKHIDKA"

AINDA ATENTADOS

METROPOLITANO DE MOSCOVO ...

METROPOLITANO DE MOSCOVO ...

METROPOLITANO DE MOSCOVO ...

RECOMEÇAR

ASSASSÍNIO DE SACERDOTE C...

arquivos

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

todas as tags

links
blogs SAPO
subscrever feeds